segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Nada mais perigoso que o falso nacionalista

   
   Nada mais apátrida e perigoso para o Brasil do que o surgimento de líderes pseudo-nacionalistas. Jair Bolsonaro é um exemplo (se é que pode ser chamado de líder) de uma figura que atrai a mente ilusa da direita “vulgo patriótica”, que, diga-se de passagem, acredita que a sua presença na política é sinônimo viável de socorro a nação brasileira, nacionalista, ou um possível substituto de Enéas Carneiro. Não há engano maior.

   Vamos aos fatos que comprovam que Jair Bolsonaro é uma figura apátrida cujo suas posições nada são nacionalistas, e sim liberais:


- Jair Bolsonaro demonstra ser um saudosista ao regime militar de 1964, que, diga-se de passagem, foi o mesmo que consolidou a arquitetura do golpe planejado pelos Estados Unidos e serviu os interesses de Washington no Brasil. 

- Bolsonaro defende a diminuição da interferência do Estado na economia e o livre comércio – o Estado mínimo.

- Bolsonaro defende a privatização da Petrobrás – estatal estratégica para o desenvolvimento nacional.

- Bolsonaro defende uma política externa alinhada aos Estados Unidos e o Estado de Israel – não é uma política externa independente.

- Bolsonaro crítica duramente o MERCOSUL – não reconhece a importância da integração regional sul-americana.

- Bolsonaro diz que a Base de Alcântara foi dinheiro jogado fora e deve servir de quintal de exploração dos Estados Unidos – base de lançamento de mísseis estratégica devido aos baixos custos de lançamentos de foguetes, progresso tecnológico e defesa nacional.

No senado Jair Bolsonaro votou a favor:

- PEC 241 – a PEC da redução dos gastos públicos. Um dia antes declarou que votaria contra, mas após jantar com Michel Temer e ver que a PEC não prejudicaria os militares votou a favor.

- Abertura da Exploração do Pré- Sal – Entrega do Pré-Sal – Recurso natural estratégico para ser explorado pelo capital estrangeiro. Bolsonaro votou a favor.

- No projeto da reforma trabalhista votou a favor.

- Jair Bolsonaro se absteve na votação da Lei da Terceirização – apenas para não “sujar” sua imagem para seus eleitores.

   A partir destes pontos ressaltados é possível de se concluir que: JAIR BOLSONARO NÃO É UM NACIONALISTA. Seus posicionamentos estão muito longe da ideia de um projeto político/geopolítico, econômico, social e cultural movido aos ideais nacionalistas. Bolsonaro é um liberal dos mais nojentos e apátridas existentes. É completamente inadmissível Bolsonaro receber apoio de movimentos e partidos nacionalistas existentes e em emergência.

NADA MAIS PERIGOSO QUE O FALSO NACIONALISTA!

BRASIL ACIMA DE TUDO, EIA SUS!

NAÇÃO-TRABALHO-TRADIÇÃO!



Um comentário: