quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Por uma Caixa 100% PÚBLICA!

RJ, Vereador Leonel Brizola Neto fazendo jus ao legado de seu avô, o saudoso Leonel de Moura Brizola, na defesa das empresas e do patrimônio público, assina nota em conjunto com o bancário da Caixa Econômica Federal, André Nunes, contra a intenção do governo Temer de privatizar esse importante banco público:

Nossos legionários acompanhados do legionário e bancário da CEF André Nunes se reuniram com o vereador Leonel Brizola neto.
PELA MANUTENÇÃO DA CAIXA ECONÔMICA FEDERAL 100% PÚBLICA!
A Caixa, como já foi divulgado nos veículos de imprensa, registrou no 1º trimestre de 2016 lucro líquido de R$ 838,7 milhões, aumento de 31,7% se comparado ao trimestre anterior. O índice de inadimplência caiu 0,04 p.p. e encerrou o primeiro trimestre em 3,51%, abaixo da média de mercado, de 3,55%. A margem financeira gerencial atingiu R$ 11,5 bilhões ao final de março de 2016, evolução de 9,9% em relação a março de 2015. A ampliação do relacionamento com os clientes gerou aumento de 8,3% nas receitas com prestação de serviços e tarifas bancárias no primeiro trimestre de 2016.

No segundo trimestre, o lucro foi de R$ 1,6 bilhão, aumento de 92,1% em relação ao trimestre anterior exposto no primeiro paragrafo acima. O índice de inadimplência diminuiu novamente, desta vez 0,31 p.p. e alcançou 3,20%, mais uma vez abaixo da média de mercado, de 3,51%
Na análise semestral os números são ainda mais notórios: A Caixa alcançou lucro líquido de R$ 2,4 bilhões no primeiro semestre de 2016. Ao final do semestre, a empresa possuía R$ 2,1 trilhões em ativos administrados, com destaque para seus ativos próprios, que alcançaram R$ 1,2 trilhão, avanço de 8,4% em 12 meses. A ampliação do relacionamento com clientes gerou aumento de 9,5% nas receitas com prestação de serviços no primeiro semestre de 2016, quando comparado ao mesmo período de 2015.

A carteira de crédito ampla apresentou saldo de R$ 691,6 bilhões, crescimento de 6,7% em 12 meses e participação de 21,8% no mercado. O crédito habitacional continua a ser o principal segmento do crédito da Caixa, com saldo de R$ 393,7 bilhões, o que representa 66,7% do mercado, e evolução de 7,2% em 12 meses.

As captações totais da Caixa alcançaram saldo de R$ 932,9 bilhões no primeiro semestre de 2016, com crescimento de 4,5 % em 12 meses, e emvolume suficiente para cobrir 134,9% da carteira de crédito. Ao final do semestre, a empresa possuía R$ 2,1 trilhões em ativos administrados, com destaque para seus ativos próprios, que alcançaram R$ 1,2 trilhão, avanço de 8,4% em 12 meses.

Em seis meses, a Caixa injetou R$ 339,5 bilhões na economia brasileira por meio de contratações de crédito, distribuição de benefícios sociais, investimentos em infraestrutura própria, remuneração de pessoal, e destinação social das loterias, dentre outros.
A Caixa conta atualmente com 95,7 mil empregados concursados, além de contribuir socialmente contratando jovens para o primeiro emprego, são  14,9 mil estagiários e aprendizes.

O governo Temer acena na direção de abrir o capital da Caixa, o que seria o primeiro passo para a privatização da empresa. Esse é um ataque direto contra o povo brasileiro, que necessita de um banco que possa cumprir sua função social, de crédito geral a taxas razoáveis e crédito habitacional com juros subsidiados. A grande mídia, guardiã da casta privilegiada que governa esse país, faz lobby frequente para que se entregue mais esse patrimônio público, ocultando do povo brasileiro que, com o fim da Caixa Econômica Federal como ente público, a classe trabalhadora não irá mais dispor do banco que financia a habitação popular.

Qual o verdadeiro motivo por trás da intenção de privatizar uma empresa que, além de apresentar balanços positivos, aumenta sua margem de lucro gradualmente? A única resposta é a voracidade entreguista de grupos políticos submetidos as ordens do capital internacional. Não podemos permitir que essa atrocidade seja cometida por esses vendilhões da pátria, inimigos do povo!  Vamos dar um não rotundo ao entreguismo!
Assinam,
Leonel Brizola Neto
Vereador pelo município do Rio de Janeiro

André Nunes
Bancário da Caixa Econômica Federal

Nenhum comentário:

Postar um comentário